A evolução da história nos games

Para alguns, o enredo é a parte mais importante de um game, para outros, ele só fica no caminho. A importância de uma história realmente depende do gênero do jogo. Títulos de esporte não precisam de um, enquanto RPG’s seriam quase nada sem ele. Histórias podem ser tão simples como salvar uma princesa bem como ser algo tão profundo que pode ser difícil de acompanhar. Como os games têm evoluído ao longo dos anos bem como os meios de como a história é contada.

Primeiro jogo de aventura, Zork


A primeira história dirigida a games eram jogos de aventura baseados em texto que não eram nada mais do que um analisador de verbo-substantivo, que permitiam o progresso através de seu texto. O primeiro game baseado em texto apenas reconhecia comandos muito simples, porem mais tarde, seria capaz de reconhecer frases completas e até ter gráficos para acompanhar o texto, assim como vários desfechos com base nas escolhas jogadores.

O anúncio para o jogo de arcade Donkey Kong

Nos primeiros anos dos games com a Atari, enredos eram escritos no encarte que acompanhava o game. Os games do Atari eram muito limitados na época e a maioria não precisava de histórias devido à jogabilidade simples e objetivos básicos.

Donkey Kong foi um dos primeiros games para o Atari em torno de um enredo. A trama de Donkey Kong não estava no jogo, mas vinha promovido com folhetos para o arcade, que contou que o macaco de estimação de Jumpman(Mario?) tinha quebrado sua jaula e raptado sua namorada(Peach?). Mesmo o enredo não sendo contado no game, através do uso de textos simples e de animação, os jogadores foram capazes de entender a narrativa.

Com o lançamento do Nintendo Entertainment System em 1980, cartuchos de jogos tinham a capacidade de armazenar muito mais dados do que os anteriores. Apesar dos games iniciais ainda só terem enredos encontrados no manual do jogo, não demorou muito para que as histórias serem colocadas no game propriamente dito. Através da simples exibição de texto no game. De repente, houve profundidade nos games, não eram mais que apenas a tentar acumular pontos, mas na verdade, descobrir a verdade por trás deste mundo. A frase “Thank you Mario, But our princess is in another castle” – “Obrigado Mario, mas nossa princesa está em outro castelo” diz muito: Mario está em uma missão para salvar a princesa e tem de viajar para mundos diferentes para encontrá-la e quando você completa o primeiro mundo e ver essa linha famosa, você percebe que Mario deve continuar em frente para salvar o dia.

Os games começaram a avançar com a introdução de cenas que interrompiam o game para contar algo sobre a história. Os enredos tornaram-se muito mais profundos em RPGs como Final Fantasy com texto suficiente para preencher um livro, juntamente com a sua jogabilidade. Pela primeira vez, houve drama nos jogos. Os jogadores poderiam se ligar emocionalmente aos personagens e serem guiados pelos acontecimentos do game. Com essa evolução na história, esses games foram se tornando menos games e mais novelas interativas.

Mas foi com os avanços em polígonos 3D que histórias em games teriam um impacto cultural na sociedade. Com games 2D, os jogadores ainda tinha que usar um pouco de imaginação, mas com games 3D, os jogadores puderam ver um personagem completo e as ações da história acontecendo. Um dos enredos de games mais famosos e complexos que conhecemos é o de Final Fantasy VII.

Onde você estava quando Aeris morreu?


Como a tecnologia nos games se tornaram mais e mais avançadas, assim como a apresentação dos enredos. Cenas se tornam mais parecidas com o que vemos em filmes, trilhas sonoras em determinada cena atuando sobre as emoções do personagem tornando-o mais compreensível para o jogador. Com os recursos dos jogos de hoje, nós chegamos tão perto de imitar a realidade que é difícil imaginar o que está reservado para o futuro das histórias de video games.

FONTE: http://kokugamer.com/2011/05/03/the-evolution-of-story-in-games/